Aprovadas 11 de 12 moções setoriais na Convenção da IL

Os liberais da VII Convenção Nacional aprovaram hoje 11 de um total de 12 moções setoriais, tendo viabilizado um texto que pede ao partido mais transparência e chumbado outro que pretendia eliminar perfis ‘online’ de jovens liberais.

Aprovadas 11 de 12 moções setoriais na Convenção da IL

Aprovadas 11 de 12 moções setoriais na Convenção da IL

Os liberais da VII Convenção Nacional aprovaram hoje 11 de um total de 12 moções setoriais, tendo viabilizado um texto que pede ao partido mais transparência e chumbado outro que pretendia eliminar perfis ‘online’ de jovens liberais.

Os resultados foram anunciados pelo vice-presidente da Mesa, Nuno Fernandes, depois de um longo período de votações presencial que demorou cerca de uma hora e um quarto, com os membros impossibilitados de sair da sala do Centro de Congressos de Lisboa durante todo este tempo.

A única moção chumbada gerou polémica no debate do primeiro dia da reunião magna e pretendia que a direção liberal uniformizasse “a presença do partido nas redes sociais, mantendo a sua identidade de comunicação como ‘Iniciativa Liberal’ e seus núcleos territoriais, eliminando as páginas e perfis ‘Jovens Liberais'”.

Após a rejeição – com 840 votos contra, 283 abstenções e 153 votos a favor — ouviram-se vários aplausos na sala, saudando o resultado.

No conjunto das restantes moções, todas aprovadas, inclui-se o texto ‘Maior transparência na Iniciativa Liberal’, no qual é recomendando que a IL “reforce o princípio de uma gestão transparente, tanto nas decisões, como na sua gestão financeira, em todas as áreas de gestão do partido”.

Os subscritores querem ainda que “a informação financeira relativa aos contratos celebrados pela Iniciativa Liberal” que envolvam membros ou que possam impactar economicamente (nomeadamente via familiares diretos) dirigentes dos órgãos do partido ou eleitos para cargos públicos em representação do partido “seja anualmente alvo de comunicação aos membros”.

Também este texto — aprovado com 818 a favor, 259 abstenção e 177 contra – mereceu alguns aplausos no anúncio do resultado.

Entre os temas das moções aprovadas está a sustentabilidade, cultura, justiça, desporto ou até a Defesa Nacional, que recomenda, nomeadamente, que a Comissão Executiva formule propostas políticas no âmbito da Defesa, que passem pela “reestruturação orgânica das Forças Armadas, visando prepará-la para os desafios futuros e promovendo os Recursos Humanos como o seu ativo mais valioso” ou a “nomeação das chefias militares de forma independente e assente em critérios meritocráticos”.

Na moção ‘Europa Liberal’, com as eleições europeias de 2024 em mente, é apelado à futura Comissão Executiva que priorize “o aprofundamento de um discurso europeu” e aprofunde “a sua intervenção no seio” do Partido da Aliança dos Liberais e Democratas pela Europa, ambicionando um papel de liderança nesta força política.

Já no texto ‘Poder local, Iniciativa Liberal’ os subscritores propõem “sensibilizar os membros para a preocupação de desenvolvimento de ações políticas de âmbito local e de proximidade”, produzindo assim “conteúdo para a ação política nacional”, para além de “potenciar ações de formação descentralizada nas freguesias com temas fortes e com potencialidade de aproximação e mobilização”, afirmando um “partido de proximidade”.

ARL (JF) // ACL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS