Rússia abre feira de armamento com Putin a prometer cooperação a quem desejar

O Presidente russo, Vladimir Putin, manifestou hoje a abertura de Moscovo para cooperar em matéria de defesa com todos os países que pretendam proteger os respetivos interesses e desenvolvimento de forma independente.

Rússia abre feira de armamento com Putin a prometer cooperação a quem desejar

Rússia abre feira de armamento com Putin a prometer cooperação a quem desejar

O Presidente russo, Vladimir Putin, manifestou hoje a abertura de Moscovo para cooperar em matéria de defesa com todos os países que pretendam proteger os respetivos interesses e desenvolvimento de forma independente.

“A Rússia está aberta ao aprofundamento da parceria tecnológica e da cooperação em matéria de defesa com outros países”, disse Putin numa mensagem em vídeo aos participantes no fórum técnico-militar internacional “Army-2023”, citado pela agência russa TASS.

Sem nomear os possíveis parceiros, Putin referiu que devem acreditar ser “crucial envidar esforços comuns para construir um sistema de segurança igual e indivisível que proteja de forma fiável todos os países”.

A cooperação na área da defesa será desenvolvida com “todos aqueles que procuram proteger os interesses nacionais e o seu caminho independente de desenvolvimento”, afirmou.

De acordo com o Ministério da Defesa russo, cerca de 60 países confirmaram a participação no fórum deste ano, inaugurado hoje no Centro de Congressos e Exposições Patriot, em Moscovo.

Até domingo, serão apresentados produtos de cerca de 1.500 empresas russas ligadas à indústria militar, numa exposição em que estarão representadas 85 empresas e organizações estrangeiras de sete países, segundo a TASS.

Estão previstas reuniões bilaterais entre os dirigentes das Forças Armadas russas e os parceiros estrangeiros, que também participarão num “sólido programa científico e empresarial”, disse a agência.

Um dos convidados é o ministro da Defesa da China, Li Shangfu, que partiu hoje de Pequim para Moscovo, de onde seguirá depois para uma visita à Bielorrússia.

“Entre os dias 14 e 19 de agosto, Li Shangfu vai visitar a Rússia, onde participará na 11.ª Conferência de Moscovo sobre Segurança Internacional, e a Bielorrússia”, disse um porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Wu Qian, em comunicado.

Além de discursar no fórum, Li vai encontrar-se com autoridades de Defesa russas, acrescentou.

O Ministério da Defesa russo antecipou que serão assinados no fórum contratos no valor de mais de 433 mil milhões de rublos (3,9 mil milhões de euros, ao câmbio atual).

A empresa estatal Rostec disse à TASS que o fórum apresentará os mais recentes sistemas de artilharia russos, que tiveram em conta a experiência da guerra contra a Ucrânia e as características do equipamento da NATO apreendido às forças ucranianas.

Os aliados ocidentais têm fornecido armamento às forças ucranianas para defenderem o país da invasão militar ordenada por Putin em 24 de fevereiro de 2022.

O mais recente caça MiG-35 estará em destaque na feira de defesa, segundo a TASS.

Na mensagem, Putin disse também que o programa de negócios do fórum foi dedicado a formas de diversificar a indústria de defesa e desenvolver tecnologias de inteligência artificial.

“A Rússia tem muito para oferecer nestes domínios promissores. O nosso mercado de bens que envolvem tecnologias de inteligência artificial continua a crescer todos os anos”, afirmou.

Disse que o fórum foi reconhecido como uma das maiores exposições mundiais de equipamento militar e congratulou-se com o “número crescente de empresas de defesa estrangeiras a participar no fórum”.

“No ano passado, 32 empresas apresentaram os produtos aqui e, este ano, o número ascende a 82”, declarou.

PNG (JPI) // APN

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS