Os mafiosos italianos que conseguiram escapar por mais tempo à Justiça

Matteo Messina Denaro é o mais recente dos mafiosos a ser detido pelas autoridades italianas, mas mesmo tendo estado foragido por 30 anos, não foi o que mais tempo demorou a ser apanhado.

Os mafiosos italianos que conseguiram escapar por mais tempo à Justiça

Os mafiosos italianos que conseguiram escapar por mais tempo à Justiça

Matteo Messina Denaro é o mais recente dos mafiosos a ser detido pelas autoridades italianas, mas mesmo tendo estado foragido por 30 anos, não foi o que mais tempo demorou a ser apanhado.

Matteo Messina Denaro, um dos mais célebres mafiosos italianos condenado por organizar uma série de crimes, foi preso em janeiro de 2023 depois de passar quase 30 anos foragido. Era uma das pessoas mais procuradas da Europa. Chefe da família siciliana Cosa Nostra, Messina Denaro, de 60 anos, foi detido pela polícia enquanto recebia tratamento numa clínica particular em Palermo.

Para ler depois
Cristiano Ronaldo é o rei do Instagram mas no Twitter nem príncipe é
Com o maior número de seguidores no Instagram, Cristiano Ronaldo fica longe do rei no Twitter. O antigo melhor jogador de futebol do mundo fica muito longe do pódio (… continue a ler aqui)

Foi condenado à revelia por dezenas de homicídios relacionados com máfia, incluindo o envolvimento nos homicídios em 1992 dos promotores anti-máfia Giovanni Falcone e Paolo Borsellino. O chefe da máfia foi condenado a prisão perpétua mais recente, em 2020, pelo envolvimento nos atentados mortais que assolaram Milão, Florença e Roma, em 1993, bem como pelo sequestro, tortura e homicídio do filho de 12 anos de um inimigo que testemunhou contra a Cosa Nostra.

A prisão de Messina Denaro aconteceu quase 30 anos depois de a polícia deter o “chefe dos chefes” da Cosa Nostra, Salvatore “Totò” Riina, preso num apartamento de Palermo depois de passar 23 anos foragido. Riina acabou por morrer na prisão em 2017. Nunca mostrou arrependimento.

O chefe da Cosa Nostra que estabeleceu o recorde de mais tempo foragido foi Bernardo Provenzano. Passou 38 anos foragido antes de ser detido numa fazenda perto de Corleone, na Sicília, em 2006. Provenzano morreu na prisão em 2016 e, assim como Riina, nunca escolheu colaborar com os investigadores.

O declínio da Cosa Nostra e a ascensão da máfia calabresa

Com a repressão que começou contra a Cosa Nostra na década de 1990, a máfia siciliana começou a perder domínio na Itália, enquanto ascendiam outras organizações do crime organizado. A Ndrangheta, baseada na região sul da Calábria, superou desde então a Cosa Nostra em alcance e influência. A Ndrangheta suplantou a Cosa Nostra no tráfico de drogas e tornou-se num dos principais traficantes de cocaína do mundo.

Estima-se que a organização criminosa da Calábria fature até 60 mil milhões de dólares americanos por ano – mais do que o PIB de países como Líbano e Uruguai – e tem uma estrutura rígida de clã mais difícil de penetrar do que a Cosa Nostra.

Crime organizado controla um décimo da economia da Itália

O crime organizado é considerado o maior negócio da Itália. Controla cerca de nove por cento da economia do país. O valor dos bens apreendidos a organizações mafiosas em Itália entre 2020 e 2021 ascendeu a quase dois mil milhões de euros. Além da Ndrangheta e da Cosa Nostra, os grupos mafiosos Camorra e Sacra Corona Unita – com sede nas regiões sul da Campânia e Puglia – completam o top 4 dos principais sindicatos do crime em Itália.

Statistic: Mafia bosses who have spent the longest time as fugitives in Italy as of January 2023 | Statista

Statista

Impala Instagram


RELACIONADOS